Exames

ULTRASSON

ultrasson2

Durante a Gestação

A ultrassonografia (ou ecografia) é hoje sem dúvida a ferramenta mais importante que temos para acompanhar a gestação. Trata-se de um exame não invasivo, sem riscos para o bebê, pois não usa radiações ionizantes (como o Raio X) e permite ao médico ter acesso em tempo real a imagens bi e tridimensionais que dão o diagnóstico necessário em qualquer tempo da gestação. Através de recursos adicionais, como o Doppler, é possível ter acesso a informações sobre a circulação fetal e materna, assegurando ainda mais as condições de bem-estar da gestação. Ela pode ser realizada em qualquer fase da gestação, com algumas particularidades em cada fase, descritas abaixo.

Escrito por:Dr. Luiz Henrique Martinez
Transvaginal

À partir de 5 ou 6 semanas já é possível a visualização do embrião com seus batimentos cardíacos (nesta fase com 3 a 4 mm. de comprimento) através da via endovaginal. A vantagem dessa via no início da gestação é a qualidade de imagem, com melhor resolução, desde que não temos toda a parede abdominal se interpondo entre o equipamento de ultrassom e o saco gestacional. Informações importantes que obtemos:

– assegurar que a gestação está dentro do útero, afastando a possibilidade de localização ectópica (nas trompas, por exemplo) que pode ser extremamente perigoso para a mãe.

– verificar a quantidade de embriões (se for gemelar também é importante o tipo de gestação gemelar, de uma placenta somente ou duas, pois isso muda o risco e os cuidados da gestação).

– confirmar a idade gestacional, com erro de apenas 3 ou 4 dias para mais ou para menos nesta fase (isso é importante para depois saber se o feto está crescendo adequadamente nos próximos exames).

– alguns defeitos de formação mais graves também já podem ser vistos nesta fase, ao redor de 10 semanas, como por exemplo a anencefalia.

Aproveitamos para ver também:

– formato e textura do útero, presença de miomas ou outras alterações que podem interferir na evolução da gestação;

– Aspecto e tamanho dos ovários.

Escrito por:Dr. Luiz Henrique Martinez
Translucência Nucal

Também chamado hoje de Morfológico de 1º trimestre, deve ser realizado entre a 11ª e a 14ª semana de gestação (embrião entre 45 e 84 mm. de comprimento). É a melhor fase para se fazer o rastreamento de alterações genéticas e já é possível diagnosticar má formações maiores. Podemos ver com muita nitidez a presença de membros, pés e mãos, formato do crânio, localização da placenta e o fluxo de sangue no cordão umbilical. A translucência nucal, que é uma imagem formada pelo acúmulo de líquido na região da nuca do feto foi o primeiro marcador de cromossomopatia (Síndrome de Down a principal) descrito, e muito utilizado à partir da década de 90. Hoje além desse temos outros como o osso nasal, ducto venoso, regurgitação tricúspide, ângulo facial, que também podem ser pesquisados na suspeita de alguma alteração. O ultrassom não dá o diagnóstico de síndrome genética, mas diz se a paciente tem um risco alto ou baixo de ter um problema. Nas de alto risco pode ser discutida a indicação de outros exames como o cariótipo por exemplo.

O diagnóstico do sexo fetal geralmente é feito com segurança ao redor das 15 ou 16 semanas.

Escrito por:Dr. Luiz Henrique Martinez
Morfológico de 2º trimestre

Deve ser realizado preferencialmente entre 20 e 24 semanas de gestação. É a melhor fase para avaliar em detalhes toda a anatomia fetal, trazendo segurança para a mãe e para o médico que o feto não tem malformações ou alterações que mereçam um cuidado pré-natal diferenciado no restante da gestação. A qualidade do equipamento e do profissional que realizam o exame também são fundamentais para o bom resultado do mesmo. Pode ser acrescido do Doppler, que quando normal garante uma boa implantação da placenta e um baixo risco do nenê não crescer adequadamente, assim como praticamente afasta o risco de doença hipertensiva específica da gestação (toxemia). Também é a fase ideal para fazer uma avaliação do colo uterino, que nos casos em que é muito curto, o médico pode tratar para diminuiro risco de parto prematuro.

Escrito por:Dr. Luiz Henrique Martinez

3D

A ultrassonografia tridimensional pode ser realizada em qualquer fase da gestação como um recurso adicional para o diagnóstico. Nos casos de malformações ela é superior ao exame comum para estabelecer tanto o diagnóstico como o acompanhamento e prognóstico.

Para a visualização da face do bebê a fase ideal é ao redor de 25-27 semanas, com o feto pesando ao redor de 800-900g. pois é uma fase que ainda temos razoável espaço livre com líquido, essencial para o exame. Não é sempre que conseguimos a imagem ideal. Às vezes não conseguimos imagem nenhuma, pois depende sempre em primeiro lugar da posição do bebê, depois da quantidade de líquido e também das condições maternas. Quando o feto colabora é muito interessante ver abrir a boca, os olhos, mexer os dedos, fazer caretas.

Escrito por:Dr. Luiz Henrique Martinez
3º trimestre

Nesta fase o bebê já está com menos espaço livre, e cresce com rapidez. É importante assegurar que o crescimento está acontecendo adequadamente, pois tanto para menos como para mais pode significar risco aumentado. Avaliamos sempre também a quantidade de líquido, a placenta, e novamente o Doppler aqui tem papel muito importante no bem-estar fetal, particularmente nas pacientes hipertensas ou em fetos com restrição de crescimento.

Escrito por:Dr. Luiz Henrique Martinez

COLPOSCOPIA

colposcopia2Colposcopia é um exame que permite visualizar a vagina e o colo do útero por meio de um aparelho chamado colposcópio. Esse aparelho permite o aumento de 10 a 40 vezes do tamanho normal.

O exame é realizado no próprio consultório médico com a paciente na mesa de exame. Após colocar o espéculo vaginal, o médico examina o colo do útero com o colposcópio. Também é com o colposcópio que é examinada a vulva, e o nome desse exame é vulvoscopia.

Preparo para a colposcopia e vulvoscopia:
•As imagens obtidas pelo Colposcópio são de grande aumento, permitindo verificar pequenas alterações impossíveis de serem vistas a olho nu.
•Durante a colposcopia são usados produtos químicos e corantes para realce de áreas a serem examinadas.
•A colposcopia não dói.
•Esse exame é geralmente recomendado para mulheres que têm resultado anormal do exame de papanicolaou ou para aquelas que durante o exame ginecológico foi notada alguma alteração.
•A colposcopia também é indicada quando é necessária uma biópsia do colo do útero ou quando há uma suspeita de papilomavírus (HPV).

Fonte:
GINECO.COM – Dr. Sérgio dos Passos Ramos